Sucesso é um processo, comece

Às vezes pensamos que essa famosa e atual ideia de que devemos ir em busca do nosso propósito, de criar um trabalho que tenha a ver com nossa essência, de colocar nossos talentos no mundo, é só um discurso super elitista e para poucos. Porque no fim do mês as contas aparecem e precisam ser pagas. Afinal, se tem algo que temos dificuldade de conviver, é com o peso de dívidas se acumulando.

Somos todas cíclicas e oscilamos entre dias em que vemos muito sentido naquilo que estamos fazendo, que nos enchemos de energia para continuar mesmo perante os tropeços, e outros dias que desejamos nos submeter ao senso comum, deturpando tudo aquilo que vemos como missão e manifesto, porque a dose de realidade bate bem na nossa cara avisando que lá vem o boleto.

Nos parece que a maré não está para peixes. Vemos muitos colegas ao nosso redor que construíram patrimônio e costumavam viver sem estresse hoje preocupados vendo a reserva de anos de trabalho diminuir a cada mês. Imagina para quem vive de salário mínimo dividindo casa com mais 9, 10 pessoas?

É estranho dizer, mas talvez seja esse o melhor momento para irmos atrás do nossos propósitos. E isso não significa abandonar tudo de forma inconsequente, apostando que aquele produto ou serviço, que você nem testou, será um sucesso. Nossa ideia de sucesso tem a ver com um processo e não com magia.

Ora, se é um processo, precisa ser iniciado, não é?

Agora, vivenciando crises, é o melhor momento de começar. E se não podemos largar o que estamos fazendo, abandonar o que nos traz receita porque os tempos são incertos, podemos criar uma realidade totalmente paralela.

Por que não dedicar um pouco do nosso tempo, toda semana, a algo que identificamos como propósito? De pão artesanal a erradicação da violência contra mulheres, o céu é o limite para aprimorarmos e espalharmos cada vez mais daquilo que somos em essência. E se faz parte de nós, se tem missão, tem também energia e fôlego, porque nossa alma vibra por determinados assuntos ou fazeres.

Talvez um caminho f*d@ possa se abrir, talvez a sua existência ganhe o significado que tanto é necessário à alma humana, como diz Cortella no livro “Por que fazemos o que fazemos?”. E talvez esteja aí a dissolução das angústias e vazios de nossas vidas.

Encontramos esse vídeo da Ubuntu, rede conduzida com muito propósito pelo Edu Seidenthal e queremos te indicar como reflexão. Toda troca e partilha sobre o tema é bem-vinda!

https://youtu.be/EJHxT5ygeOs

Um abraço, nos vemos na Oca.

Ana e Vivian